dois coelhos

Esta é a nossa história, dois rapazes destinados um para o outro, que se conheceram quando um tinha 20 anos e o outro 26.
Desde esse dia que a nossa vida mudou para sempre! E vocês são as nossas únicas testemunhas!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

México!

Chamar à viagem que fizémos à Riviera Maya "México" é, claramente, um excesso. O México é um país enorme (14º maior do mundo), mas tirando a capital (Cidade do México), eventualmente a meio duma viagem de 800 km entre Guanajuato e Oaxaca, tudo o que me levou a colocar o país nesta lista está reunido numa única região: a Península do Iucatão.


Há anos que andava a sonhar com a viagem ao México. Nos últimos 20 anos o destino popularizou-se por cá, e já por várias vezes tinha recusado propostas de viagens com amigos, o que não me impediu de ir planeado algumas coisas e procurando informação.


Uma das conclusões a que cheguei é que não vale a pena procurar viagens fora das agências de viagens. Voar para o México em voos regulares muito dificilmente fica abaixo dos 700€. A isso acresce transferes, estadia, alimentação, talvez um seguro de viagem... Por outro lado, nos pacotes das agências de viagens consegue-se, procurando bem, preços interessantes com tudo incluído (avião - transferes - estadia - alimentação e bebidas).

Apesar de optarmos, como se está a ver, pelos pacotes já feitos, a viagem obedece sempre a algum tipo de planeamento, e logo para começar, a altura do ano. Podem dizer-vos, nas agências de viagens ou em qualquer outro lugar que a época alta são os meses de Verão (Julho/Agosto/Setembro). Bullshit!, isso é um truque para agradar ao mercado turístico europeu e americano. A época alta é quando a meteorologia é melhor, e na região das Caraíbas isso não acontece nos meses de Verão. No caso específico da região do Iucatão, os meses menos chuvosos vão de Dezembro a Abril, e é precisamente em Abril que se registam temperaturas máximas acima de 30º, e mínimas acima de 15º. Portanto, nem havia lugar a dúvidas: íamos ao México em Abril!

Procurei exaustivamente pacotes de uma semana na região de Riviera Maya (ao lado e mais barata que Cancun) em agências de viagens de vários países. Tentei escolher um resort de boa qualidade, com boa praia, para satisfazer os desejos de dolce fare niente do P, já que as férias seguintes iam ser tudo menos isso.

Contas feitas, viajámos pela DominicanaTours, a mesma agência com que fomos à Tunísia em 2011. Apesar de também operarem a partir de Lisboa, compensou comprar o pacote com saída de Madrid e comprar à parte a viagem Lisboa - Madrid, pela easyjet.

Assim, gastámos 67€ cada pelos bilhetes Lisboa - Madrid e Madrid - Lisboa, partilhando uma mala de porão entre nós os dois, e 910€ por uma semana no hotel Grand Palladium, um resort de 5 estrelas com uma pontuação razoável na extensa lista de hotéis do género. Eu queria ir para o Adonis Tulum (um resort gay), mas o P preferiu algo mais... convencional.


25 comentários:

  1. Como creio que já te disse, o México é um destino que não me seduz. De toda a América Latina, o único país que visitaria seria o Brasil, evidentemente, e talvez o Chile (melhor dizendo, a ilha da Páscoa...). A Argentina, quem sabe. Isto tudo, com excepção do Brasil, depois de ter visitado todos os países que quero.

    O resort gay, não, de todo. Concordo com o P. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mark, não percebi se falas por conhecimento ou preconceito.
      Habitualmente, as pessoas confundem Caraíbas com All-Inclusive mas é muito mais do que isso.
      Ritmos da República Dominicana para quem gosta de danças; Cultura e arquitetura de Cuba; parques naturais da Costa Rica; história do México, tudo à mistura com as melhores praias, o melhor clima e o povo mais simpático.
      Admito que não gostei da Jamaica.
      Não fiquei fã do Brasil mas confesso que não devo ter visitado o melhor do Brasil.

      Eliminar
    2. Não confundo nada! LOL Caraíbas é América Latina, ponto. Não tenho qualquer preconceito. Só é uma zona do globo que não me seduz, seja culturalmente, historicamente, socialmente.

      Sei perfeitamente a história que envolve o México. Aquando da chegada dos europeus, no seu território havia sociedades bastante bem organizadas. Aliás, de modo algum desprestigiei a história do continente americano (referi que gostava de ir à ilha da Páscoa.).

      Não podemos gostar todos do mesmo, acho.

      Eliminar
    3. Concordo com a Ilha da Páscoa.
      Qual o teu destino Top se não houvesse qualquer restrição?

      Eliminar
    4. Só o top?

      Países do norte da Europa: Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia. Depois, os Países Baixos, Alemanha. Reino Unido. Áustria. É o top. Sou muito germânico e anglo-saxónico. Eis os meus destinos principais.

      Eliminar
    5. As caraíbas não é, de facto, um destino que agrade a todos. Pegando na América Latina, e uma vez que já fui ao Brasil (um dos países mais bonitos do mundo) e ao México, o meu top seria Argentina e Chile (uma viagem que já está mais ou menos pensada, de Buenos Aires a Ushuaia e regresso por Santiago), seguido da Costa Rica e Cuba.
      Do teu top, Mark, falta-me a Islândia e a Áustria, mas este ano voltei à Noruega e à Dinamarca, os meus preferidos na Europa.

      Eliminar
  2. Nunca estive num resort gay mas gostava experimentar. Este ano fui com o meu namorado à Costa Rica e decidimos experimentar um resort gay numa das localidades por onde passamos. Apesar de toda a programação e bookings das viagens ser sempre da minha responsabilidade, não me deixaram.... Viajamos com umas amigas "streight" que não foram nessa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também nunca estive um resort gay, mas está nos planos, mais cedo ou mais tarde. Infelizmente este tipo de alojamento é geralmente mais caro do que opções 'normais' equivalentes.
      Posso dizer (é um spoiler) que este ano, numa das viagens, ficámos num hostel gay, e foi uma experiência e tanto, lol.

      Já agora, quando publicas o report da Costa Rica?

      Eliminar
    2. Lol.
      combinado quanto ao report da CR. Fica atento aos proximos dias.
      abr
      Leo

      Eliminar
    3. Deal!
      O teu blog está em falta dos meus comentários, o que vale é que ainda não tens muitos posts, lol. ;)

      Eliminar
  3. Em relação ao resort, não sei porquê, causa-me alguns arrepios. Tenho a sensação de ejaculações por todo lado... LOL

    Em relação ao post anterior (que tu não deixaste comentar), só tenho a dizer que acho que nunca tiveste um post com tanto mel... LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ejaculações por todo o lado??? Lololol, parti-me a rir. E o que te leva a crer que nos outros não é assim? De qualquer forma, há uma coisa no resort gay Adonis Tulum que, de facto, pode levar a pensar em bacanais: a zona da piscina é 'clothing optional'...

      Tanto mel? Pois, eu sou uma abelha... até tenho um ferrão, lol

      Eliminar
    2. Horatious, nunca mais vou ver os resorts com os mesmos olhos.

      Eliminar
    3. Realmente, Coelho. Quando se vai a um hotel, imaginar tudo k que outros fizeram antes naquela cama... lololl

      Eliminar
    4. Nao foste tu que encontras te uma vez um preservativo? Lol

      Eliminar
    5. Pousada da Juventude de Braga, aquela onde tu partiste uma cama. ;) Lololol

      Eliminar
    6. Não foi em Braga que parti uma cama (já tive uma aventura desse género). E camas já partidas (antes de eu lá chegar) também já apanhei em algumas pousadas da juventude...

      Eliminar
  4. fui ao México recentemente (final de setembro) e é um lugar incrível! fiquei totalmente apaixonada pela comida, cultura e diversidade da cor. quero voltar rs

    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sempre tive para mim que só começava a repetir sítios quando esgotasse todos os que queria ver. Porém, quando começas a namorar com uma pessoa e estás mesmo apaixonado/a, queres levar essa pessoa a todos os sítios que te marcaram. Pelo menos comigo é assim.

      Eliminar
  5. Realmente és pouco fresco és LOL Coitado do teu miúdo LOL É um mártir LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um mártir, sim. E como mártir, há que ajoelhar... ;)

      Eliminar
  6. tb n me fascina o destino, mas nunca digas nunca :)
    mas a ideia de resort não faz mesmo parte dos meus planos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O destino em si estava no meu top há muito tempo. Dispensava a questão do resort, mas como expliquei, paradoxalmente era a forma mais económica de chegar ao México.

      Eliminar