dois coelhos

Esta é a nossa história, dois rapazes destinados um para o outro, que se conheceram quando um tinha 20 anos e o outro 26.
Desde esse dia que a nossa vida mudou para sempre! E vocês são as nossas únicas testemunhas!

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

México 3

Os dias seguintes, passados entre a praia (a água azul turquesa, linda, mas não tão quente como em Alicante), as enormes piscinas, os restaurantes, os spas, os vinte seis bares, as discotecas e as mesas de matraquilhos e snooker, passaram a correr. Quase todas as noites havia festas temáticas, e várias vezes fomos para a cama já um bocado alegres, mas ainda sóbrios o suficiente para dar uso ao jacuzzi no meio do quarto.

Foto daqui.


Foto do TripAdvisor




Um casal de guaxinins simpáticos

Iguanas por todo o lado, quase que corria o risco de pisar uma.








Um coelho ao sol, lol


Apesar de não se ver o pôr do sol, as cores eram fantásticas
Uma das piscinas, ligada ao mar, estava repleta de peixes tropicais coloridos. Para os atrairmos para as fotos usávamos pedacinhos de pão, o que surtia um efeito espetacular. Foi até eu enfiar um pedaço de pão dentro dos calções de banho do meu rapaz. Chegámos a temer o pior...

 
Foto do TripAdvisor


O Grand Palladium tem 14 restaurantes, cinco dos quais eram tipo buffet, enormes, de onde saíamos a rebolar. Os outros nove restaurantes eram a la carte, e nesses não se podia entrar de calções, pelo que por duas vezes tivémos de voltar ao quarto para trocar de roupa. 

No restaurante japonês Sumptuori, o show cooking era uma das principais atrações
O hotel era impecavelmente limpo por um batalhão de empregados simpáticos. A conversar com alguns, contaram que viviam do outro lado da estrada, em instalações pertencentes ao hotel. Ganhavam pouco mais do que o salário mínimo (à volta de 100€ por mês), por 6 dias de trabalho, mas frequentemente trabalhavam todos os dias, para que de dois em dois meses pudessem ir uma semana a casa.

Instalações dos funcionários do Palladium, daqui.

Porém, isto não foi o que mais me chocou. No último dia, por causa do voo de regresso, tivémos de almoçar logo assim que as portas dos restaurantes abriram. Foi a única vez que assisti à abertura dos restaurantes: os empregados faziam duas filas, de cada lado da porta, e ficavam a bater palmas enquanto os clientes entravam. Achei o espetáculo burguês deprimente. Que saudades de um hostel...

19 comentários:

  1. Curioso o facto de a água no México ser menos quente do que em Espanha. :)

    Cem euros mensais. Embora seja um crítico acérrimo do actual estado em que se encontra Portugal, não posso deixar de imaginar o que será viver com meros cem euros por mês. Ganham menos quatrocentos euros do que um português que aufere o salário mínimo. É uma diferença gritante. Não sabia que os salários no México, ainda assim, eram tão baixos. Não admira que fujam a salto para os E.U.A, o "vizinho" rico.

    Bater palmas aos clientes. Espectáculo burguês, não diria melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que naquele dia a água pudesse estar especialmente quente em Alicante, devido a qualquer corrente mediterrânica...

      Sim, ganham muito pouco por seis dias de trabalho, e vivem em condições precárias. Ainda assim, disseram que aquele era dos melhores resorts para trabalhar.

      Eliminar
  2. um dolce fare niente.
    conheces Junot Diaz? é um escritor nascido na República Dominicana e tem uma escrita fortíssima, sobre a diferença de classes nos hoteis de lá, por exemplo. são autênticas cidades, como este hotel onde estiveste, onde o comum habitante não tem possibilidades de entrar a não ser como empregado. e quem é o turista? o branco, norte-americano, o europeu. os latinos são os empregados, a classe pobre.
    estás melhor?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desconhecia, já fui investigar. A breve e assombrosa vida de Oscar Wao parece giro. Tu és uma fonte inesgotável de cultura, Margarida. :D
      Estou muito melhor, já há alguns dias que já consigo lavar os dentes, que curiosamente era uma coisa que me custava horrores. Na próxima semana tenho consulta e espero que seja o fim da baixa.

      Eliminar
  3. Essa é uma vantagem de Cuba. Sendo comunista, todos podem usar qualquer hotel (desde que tenham dinheiro) e as praias, mesmo as dos hoteis são publicas e frequentadas pelos habitantes da ilha ao contrario do México e Republica onde me parece serem privadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho a certeza que as praias do México sejam privadas, mas a zona de Cancun e Riviera Maya vive apenas do turismo, por isso não se encontram locais nas praias. Fomos a algumas praias fora do resort, e mesmo assim era só turistas.
      Republica Dominicana é um sítio que não me chama nadinha, lol

      Eliminar
    2. Já fiu 2 vezes. É o melhor sitio se quiseres descansar porque não há muito para fazer.
      Além disso, são o povo mais simpático das caraibas, e o sitio onde comi a fruta mais deliciosa. Adoro dançar Merengue e das duas vezes que fui fiz amigos com quem ainda tenho contacto varios anos depois.
      Excelente livro "A assombrosa vida de Oscar Wao" que, se me lembro correctamente se passa precisamente na República Dominicana.

      Eliminar
    3. Bem, que inveja, eu danço tão bem como um elefante numa sala cheia de porcelanas. O meu rapaz dança kizomba bastante bem, mas quando tento dançar com ele é um desastre.
      Um dia, lá para os 50's, quando já tiver visitado o top50 dos países (lol) então lá irei à República. E, se o alzheimer o permitir, vou-me lembrar deste teu comentário. ;)

      Eliminar
    4. Eu disse que adoro dançar, não que danço bem. Lol.
      O meu rapaz é que também dança muito bem. Melhor não os apresentarmos.

      Eliminar
  4. A hotelaria é exploração. Em Portugal também o é.
    Mas é uma belo plástico, sem dúvida.
    E ficamos a conhecer as sunga & corpo de um Coelho xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é um bom 'plástico'. Melhor teria sido o Paradisus, que dizer que é 'over the top', mas o preço era somente o dobro. Dos Bahia e Barceló não ouço dizer muito bem, mas as opiniões são como as pilas, cada um tem a sua, lol.
      Essa sunga já tem uns anos valentes. Já a foto, chumbou na primeira revisão do lápis azul. ;)

      Eliminar
    2. Então? O camarada introduziu a censura Aqui no vosso blog?

      Eliminar
    3. No que toca a fotos, ele é muito pouco camarada, lol.

      Eliminar
  5. Não conheço o México não é uma prioridade para mim, mas para uma pessoa que conheço é LOL e esse tipo de férias também LOL Por vezes sinto que temos tanto em comum LOLOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, deves fazer bem ideia do que eu sofro...

      Eliminar
  6. Mais uma vez as vossas reportagens são excelentes. Apesar da vossa excelente estadia, eu prefiro ficar em sítios que me permitam conhecer bem os locais, as pessoas e a cultura. Não sou um apaixonado por resorts...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os resorts também não me seduzem, mas aqui em casa há quem seja fã... Obrigado pelo elogio, os teus reports de viagens também são fabulosos.

      Eliminar
  7. eram dois coelhos ao sol, mas um foi tirar a foto :)
    abc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois coelhos ao sol e a beber caipirinhas. :D

      Eliminar